É bom ou ruim?

Estava eu andando dia desses e atras de mim vinha uma turma de adolescentes, nem muito jovens, nem muito adultos. Reparei porque as risadas eram em altíssimo volume.

No meio da algazarra se sobressaia a voz de Fulana, que argumentava algo indistinguível, porém com muita ênfase – e muitas palavras.

Andei mais um pouco até ouvir o Sicrano [creio que namorado da Fulana] disparar:

“Mas afinal, pô, isso é bom ou ruim?” Mais uma torrente de palavras que eu nao entendia e ele manda de novo “Mas me diz! Isso é bom ou ruim?”. E estava francamente agoniado. Continuei andando e perdi o alegre grupo de vista. Ou cheguei no carro, não lembro mais. De toda forma o que ficou martelando a minha cabeça foi a angústia de ter que definir que ‘sei lá que coisa’ tinha que ser boa OU ruim.

De forma absoluta: ou boa ou ruim. Não podia ser meio boa e meio ruim; um quarto boa e três quartos ruins; ou mesmo não ser nem boa nem ruim; ou, ainda, o que acredito ser impensável: ser boa E ruim, ao mesmo tempo.

E porquê isso martelava o pensamento? Porque nada na vida é somente bom ou somente ruim, ou mesmo absoluto. Talvez aceitar isso seja mais problemático, sei lá. Talvez se a Fulana tivesse apaziguado logo o Sicrano eu estivesse agora pensando em outra coisa, menos besta.

dans ma sac

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: